quarta-feira, 23 de março de 2011

Diálogo do Afastamento


Menos pela cicatriz deixada, uma ferida antiga mede-se mais exatamente pela dor que provocou, e para sempre perdeu-se no momento em que cessou de doer, embora lateje louca nos dias de chuva
Caio Fernando Abreu


- Olha, tá vendo aquela estrela ali?

- Sim. O que tem ela?
- Imagina... Está a milhões de anos luz de nós.
- E nós?
- O que têm?
- Faz tempo, que estamos a milhões de anos luz do coração um do outro.
- É. Faz Tempo.
- Porque você preferiu assim? Qual o sentido de se afastar de mim daquela forma, sendo que quando a gente se afasta o coração sente falta, o coração chora e o pior é que se acostuma. Se acostuma com a falta da presença do outro que aos poucos se torna rotina, normalidade, passividade. Por que se afastar se quando nos olhávamos nem precisávamos de estrela para que nossos olhos brilhassem, não precisávamos nem mesmo de motivo para isso. Ficar longe de mim era um alívio? Uma escolha feita devido ao sentimento de que tudo continuaria igual? Qual o motivo de querer isso pra gente?
- Eu não agüentava, não agüentava todo aquele amor dentro de mim. Estava enraizado em tudo que eu sentia. Suas raízes estavam crescidas dentro do meu coração. E eu não conseguia, não conseguia te tirar de dentro de mim nem que arrancasse você com minhas próprias mãos. Tentei. Juro. To tentando. Eu tive que fazer isso. Tive que fugir. Fugir de você, fugir de nós dois! Mas isso era tão complicado. Você estava dentro de mim e quando alguém se torna parte de nós não sai. Nem há milhões de anos luz longe um do outro. Como fugir de si mesmo?

(Silêncio)

- Tá vendo aquela estrela ali?
- Sim, o que tem ela?
- Ela nos observa lá de longe. Talvez tenha visto nossa história desde o início. O primeiro beijo. A vida feliz. A briga. O afastamento incontido.
- É, talvez, se ela tivesse escolha, não estaria a milhões de anos luz longe da gente.
- Me abraça?
- Sim, minha estrela. Sempre te abracei. Mesmo quando estávamos a milhões de anos luz um do outro...

Para ouvir enquanto lê: Remember When - Avril Lavigne

12 comentários:

  1. Estrelas sempre significando tanto para todos os tipos de amores, isso me lembrou uma música nada conhecida mas que tem uma letra linda, de uma cantora australiana..


    "E isso me leva para outro lugar
    O universo, o espaço infinito, acima, acima
    E o mundo é como um espelho,
    Uma bola que gira, no pós-brilho do amor
    1000 Estrelas, 1000 respirações, 1000 vozes cantando..
    1000 batimentos sob minha pele
    É aqui que começamos
    Bem aqui.."
    (1000 stars - Natalie Bassingthwaighte)

    E você meu amor, sensível como sempre!
    Parabéns, amo você!

    Nati
    http://hittheroads.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Interessante e cativante. Parabéns pelo post.

    http://boomnaweb.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. que lindo... eu senti tanto... queria muito esse dialogo

    ResponderExcluir
  4. Lindo esse texto. Faço a minhas palavras da Ró. Estou sempre acompanhando seu blog. Tive problema com meus seguidores. Caso seja seguidora, por gentileza, siga novamente. Caso não, dê uma passadinha no meu blog:

    http://deletrasasentimentos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Adorei seu blog. Os textos são lindos.
    É tudo você que escreve?

    Estou seguindo.. se quiser segue eu também..

    http://ameninadaruahimmel.blogspot.com/


    Beijos
    Paz e Bem.

    ResponderExcluir
  8. belissimo este texto amiga...
    e seu blog é muito bonito, gostei e vou voltar.
    abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá A menina da rua himmel, sou eu que escrevo mesmo, e fico MUITO feliz que vc tenha gostando. Beijos! *-*

    ResponderExcluir